Você os encontra em qualquer lugar:

Esses fracassos podem (e devem) ser evitados se você fizer apenas 3 perguntas “mágicas”.

Essas perguntas devem ser feitas ANTES de você escrever qualquer tipo de conteúdo.

Como escrevi, pode ser um livro, uma palestra, um filme, um podcast ou até mesmo um artigo (ou email como esse)…

Ao longo desse conteúdo, vou te apresentar as 3 perguntas que você deve fazer antes de escrever, assim como uma direção para encontrar uma melhor resposta.

Continue lendo…

As 3 perguntas “mágicas” que evitam o fracasso total do seu texto

Não se assuste com a simplicidade dessas perguntas.

Toda vez que falamos “ah, eu já sei” é o modo piloto automático entrando em ação sobre um tema.

Logo, o que vou compartilhar a seguir é muito fácil de aprender, assim como de aplicar.

Essas são as 3 perguntas mágicas que você deve fazer antes de escrever:

Pergunta #1: Quantidade de Temas

Quantos temas você irá abordar em seu conteúdo?

Ou… Você abordará apenas um assunto ou uma variedade de tópicos?

Chamamos isso de “Conteúdo Horizontal”.

Se você aborda 5 temas dentro de um conteúdo, você tem 5 casas na horizontal de uma rua, uma do lado da outra.

Cada casa é um tema.

Portanto, quanto mais casas você construir, mais temas você irá abordar.

Essa é uma pergunta importante, pois quanto mais casas você construir, mais trabalho você terá para aumentar o número de andares delas (Conteúdo Vertical).

Ou seja, quanto mais temas você explorar, mais difícil se torna mergulhar profundo em cada um deles.

Afinal, sua audiência possui uma memória limitada para lembrar de tudo o que você falou…

… e é impaciente quando você aparece com uma bíblia de 1.000 palavras sobre vários temas profundos.

Logo, o quanto horizontal você deseja explorar seu conteúdo é uma pergunta fundamental.

Na dúvida, lembre-se da regra de ouro:

“As pessoas tendem a lembrar apenas de 3–5 tópicos”.

Depois disso, ela categoriza como “muitos” e sua memória tem dificuldade em armazenar essa informação.

Um exemplo de conteúdo horizontal é o livro: “Astrofísica para pessoas com pressa” — Neil deGrasse Tyson.

A intenção dele não é mergulhar fundo nesse tema.

Entretanto, seu desejo é explorar o máximo de tópicos para que a audiência saiba o básico sobre astrofísica.

Pergunta #2: Profundidade dos Temas

O quão profundo você irá abordar os temas?

Ou… Você deve mergulhar profundo nos detalhes? Quantos são necessários?

Biografias são trabalhos que exploram a vida inteira de uma ilustre pessoa para o leitor.

Assim foi com a biografia de Steve Jobs por Walter Isaacson.

Porém, você não encontra esse tipo de profundidade apenas em biografias.

Quando você escolhe um tema específico para explicar, você tem liberdade de mergulhar bem fundo.

Um exemplo: Qual é o melhor mouse ergonômico vertical disponível no mercado?

Perceba que uma audiência que deseja saber mais sobre mouses pode ser considerada beeem específica.

Agora… mouses ergonômicos? E ainda verticais?

O segmento é do tamanho de um grão de areia em uma praia extensa.

Logo, os leitores que procuram esse tema querem informações precisas e detalhadas.

Imagino que eles desejam saber:

E por aí vai…

Ao contrário, se eu falo de tecnologia de modo geral, eu não posso me aprofundar tanto como no exemplo do mouse…

Uma vida inteira seria insuficiente para abordar esse enorme tema em detalhes.

Logo, ao pensar sobre seu conteúdo, lembre-se dessa ideia:

Imagine uma rua onde você irá construir casas.

Além dessas duas perguntas, você ainda precisa responder uma terceira…

Pergunta #3: Nível de Consciência da Audiência sobre os Temas

Qual é o nível de consciência da sua audiência sobre os temas?

Ou… O quanto sua audiência já sabe sobre um tópico?

Dessa maneira você pode identificar dois tipos de leitores:

  1. Leitor cuidadoso
  2. Leitor casual.

O leitor cuidadoso se importa com detalhes.

Ele quer mergulhar fundo no assunto e saber o máximo sobre aquele tema que desperta sua curiosidade.

Já o leitor causal não se importa com detalhes.

Seu objetivo é saber o básico sobre um tema apenas para compartilhar uma curiosidade com amigos.

Quando sua audiência já sabe muito sobre um tema, ela aposta todas as fichas que você conseguirá surpreender ela.

Isso acontece com filmes sobre super-heróis com fãs fanáticos.

Eles já sabem tanto da história que esperam uma grande surpresa no próximo filme.

Trazendo o assunto para a área de marketing digital, o mesmo pode ser observado em grupos experientes.

Se eu falar com eles sobre:

Logo eles viram os olhos e procuram escapar dessa conversa.

Afinal, são temas que correm livres no sangue deles.

Do outro lado, iniciantes podem ter dificuldades em saber a resposta para todas as perguntas acima.

Você precisa ter empatia por sua audiência e saber o que ela já sabe e o que não tem conhecimento.

A resposta não é uma fórmula matemática, mas é simples.

Quanto mais tempo você passa perto da sua audiência: respondendo dúvidas, lendo comentários, criando conteúdos…

… mais profundo é seu conhecimento sobre ela.

Em resumo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *